Cadastre-se e receba nossas novidades:

07/01/2018 às 08h40m

Macaé da virada

Gerente geral da Unidade Operacional da Bacia de C
Desde o mês de agosto, quando este jornal iniciou com um evento a celebração dos 40 anos da Bacia de Campos, reunindo o gerente geral da Unidade Operacional da Bacia de Campos, Marcelo Batalha, autoridades, e representantes da sociedade civil organizada, foi aberto o caminho para nutrir de esperança ainda maior, a autoestima dos empresários e da população, ávida em deixar para trás as agruras da crise que abalou a todos.

A sequência, foi uma série de ações da própria Petrobras e dos empresários ligados a indústria do petróleo e gás, com a realização das licitações tão esperadas e que começaram a movimentar a economia. A Petrobras, ao anunciar as empresas vencedoras e, também, seu plano de negócios até 2022, com a recuperação plena da exploração e produção, continuou injetando otimismo.

Além de ações visando a recuperação de todo seu potencial, a estatal vem ganhando fôlego anunciando que pelos próximos 40 ou 50 anos, Macaé continuará a ser a Capital Nacional de Petróleo, ratificando a informação de que nunca a empresa sairá de Macaé, colocando fim nos boatos que rondavam as conversas dos mais desavisados. E, para coroar de êxito todas as ações de recuperação da economia, a EBTE, que adquiriu o projeto de construção do TEPOR - Terminal Portuário do Barreto, anunciou que Macaé contará com a operação de um novo porto. Foi no dia 14 de dezembro que Macaé ganhou um presente antecipado de Natal, quando os diretores da EBTE, apresentaram ao prefeito, a viabilidade técnica do projeto atualizado do Tepor (Terminal Portuário de Macaé), considerado um marco para a nova fase de prosperidade e de desenvolvimento de Macaé.

O Diretor da EBTE, Fabiano Crespo, disse na ocasião, que: "O Tepor vem complementar tudo o que Macaé já possui para a dinâmica do petróleo, tudo o que a Petrobras construiu aqui e tudo que as outras grandes empresas também contribuíram para a evolução do mercado". E, para coroar de êxito o planejamento da EBTE, a Aneel já liberou a licença de construção de duas usinas termoelétricas no Clima, projeto que integra com a construção da rodovia Transportuária, todo o complexo do empreendimento que vai abrir o caminho da Macaé do futuro. Feliz ano novo.

Tempo de mudança?

A primeira semana do ano demonstra que as boas notícias que vão mexer com a economia local e manter Macaé no patamar das cidades mais importantes do Estado e do país, mostram que a sociedade continua no firme propósito de mudar, também, o quadro político.

Ninguém aguenta mais conviver no dia a dia com a série de informações pipocando não só nas redes sociais, mas, também, nas grandes e conceituadas mídias, o triste retrato que leva o eleitor e a população em geral, a desejar mudanças porque não se vê representada nos poderes executivo e legislativo, principalmente depois que foi iniciada a Operação Lava-Jato, levando ao protagonismo de crimes diversos, não só o Presidente da República, como senadores, deputados federais e estaduais, governadores, vereadores, órgãos públicos.

Há pouco tempo, o jornalista José Casado em opinião em O Globo, informou que: "Manter 513 deputados e 81 senadores custa R$ 10,4 bilhões por ano à sociedade. É um volume de dinheiro cinco vezes maior que o disponível em uma capital como Maceió, onde vivem um milhão de alagoanos com suas rotineiras agruras nos serviços públicos em educação, saúde, saneamento e segurança. Na conta final, essa folga no Congresso custa R$ 110 milhões aos contribuintes, segundo a ONG Contas Abertas".

E mais, continua ele: "emprego de parlamentar federal é coisa fina: remuneração de R$ 33,7 mil, mais R$ 100 mil mensais extras para o gabinete, casa, carro, motorista e plano de saúde exclusivo. Em tese, exige-se presença de terça a quinta na capital do país. Dá direito a duas férias por ano, e o calendário ajuda. O feriadão de dez dias acontece cinco semanas do recesso de verão que começa na semana do Natal e se estende até sexta-feira pré-carnaval. Depois da folia, tem-se quatro paradas para celebrações cívico e religiosas.

Até junho, época das convenções para definição de candidatos às eleições gerais - e ainda tem as festas juninas. Depois, é só campanha. Para quem procura um bom emprego no setor público, pode ser uma boa opção. O Congresso vai abrir 567 vagas em 2018.  A dificuldade é que cada candidato novato precisa disputar com deputados e senadores veteranos - famintos de votos, porque perder a eleição sempre foi o seu pior pesadelo". 


PONTADAS

Nas redes sociais, canal que cada pessoa se sente no direito de expressar sua opinião, pipocam não só vídeos, como também áudios e fotos, com denúncias estarrecedoras do que acontece nos bastidores de órgãos diversos da prefeitura. Mesmo com as autoridades fiscalizando com maior intensidade, são muitos os episódios de corrupção e outras falcatruas que atingem secretarias. Exemplo de cima?



Como vem sendo observado, o Chefe do Poder Executivo continua teimando e enfrentando a Justiça e as decisões do Ministério Público. Uma delas, a mais recente, é a postergação de colocar o trem na linha, ou seja, as duas composições do VLT que custaram R$ 15 milhões continuam na linha mas, paradas, depreciando a cada dia, depois de perder R$ milhões não devolvidos pela Bom Sinal.



Em tempo de férias e aguardando o fim do recesso para reassumir como suplente a vaga de deputado estadual, o ex-vereador Chico Machado pode trocar de partido na janela que se abre em março. Não descansa e tem percorrido vários municípios do Estado. Ele diz que vem apenas reforçando as amizades que fez durante a campanha passada, com esperança de voltar como titular do cargo.

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe:


View Site in Mobile | Classic
Share by: