Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Como se prevenir de assaltos e abordagens indo ao banco

Em 07/12/2010 às 13h01


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Muitos assaltos ocorrem durante a saída das agênci Muitos assaltos ocorrem durante a saída das agênci
A criminalidade costuma aumentar nesta época do ano por vários fatores, quando as movimentações bancárias acontecem com mais frequência, as pessoas aproveitam para comprar presentes de Natal, a chegada do 13º salário, entre outros grandes motivos que chama a atenção de bandidos. 

Até o próximo sábado, serão publicadas várias reportagens com o objetivo de alertar a todos. 

Dando continuidade a nossa série de matérias sobre estratégias de segurança durante este fim de ano, hoje mostraremos como evitar e se defender de abordagens quando se está dentro de agências bancárias ou saindo delas. 

Para falar sobre as situações mais comuns ocorridas diariamente, a subtenente Zoraia Braz, do 32º Batalhão da Polícia Militar oferece algumas orientações importantes. 

“O objetivo é tornar a população um pouco mais observadora e segura, porque quando se percebe o problema antes de uma atitude ser tomada por parte de um assaltante, a pessoa terá um tempo, mesmo que pequeno de evitar a abordagem”, explicou Zoraia.

Observar as pessoas  em fila de banco

A melhor maneira de evitar qualquer tipo de abordagem é primeiramente a observação. Quando se tem a visão total de quem está ao seu redor, fica fácil perceber quem tem uma atitude suspeita. Caso isso aconteça, a pessoa terá um tempo para se retirar de forma discreta ou quando há a dúvida, continuar no local, mas sempre atento a qualquer movimento do observado.

De acordo com a subtenente Zoraia Braz, ficar atento é sempre a melhor maneira de se prevenir de assaltos. “É importante prestar atenção em todos que estiverem perto de você, principalmente dentro dos bancos, locais muito visados por ladrões, que se aproveitam de qualquer oportunidade por menor que ela seja.

Caso saia da agência e perceba algo de errado, volte e peça ajuda ao próprio segurança do local ou ligue imediatamente para o 190 e especifique as características do suspeito e não saia do banco até que a situação seja completamente resolvida”, declarou.

Nunca mostre dinheiro em público

Esta, sem dúvida, é uma das orientações mais repassadas, não só em caso de acesso aos bancos, mas em qualquer ocasião. Com relação às agências bancárias, a atenção deve ser redobrada, já que muitos assaltantes se aproveitam desses momentos para agir. O ideal é, após realizar o saque, contar o dinheiro ainda estando de frente para o caixa eletrônico ou no atendimento.  

Um dos erros mais cometidos nestas situações é que muitos deixam para contar o dinheiro na saída do banco, o que nunca deveria ser feito, porque é uma ótima oportunidade para os ladrões, e quando a vítima facilita, a ação dos bandidos acaba sendo inevitável. “Pegou o dinheiro, conferiu, já guarda na carteira ou na bolsa. Não saia contando, isso não se faz, seja qual for a importância”, orientou a subtenente. 

Evitar saques em  caixas eletrônicos  afastados  do centro e  principalmente à noite

Lugares com menor movimentação são sempre facilitadores para os bandidos, por isso, devem ser evitados a qualquer momento. Quando precisar acessar um caixa eletrônico, principalmente à noite, procure locais de movimento e de preferência em regiões centrais da cidade, porque dificultam qualquer tipo de abordagem. “Se o caixa for afastado, num lugar recuado, tem que ser evitado. A orientação é procurar caixas instalados em postos de gasolina, supermercados, farmácias e dar sempre preferência a esses locais”, ressaltou.

Saque em caixa eletrônico

Evite conversar com pessoas estranhas dentro ou logo após a saída do banco ou caixa eletrônico

Caso não conheça quem está dentro do banco com você, tente ao máximo evitar qualquer tipo de conversa. Através de um simples papo, as pessoas podem passar informações sigilosas sobre sua conta, ou até mesmo sobre seus horários, o que se torna muito perigoso quando chega aos ouvidos de um criminoso.

 “Quando você não conhece a pessoa, não sabe qual a intenção dela, é muito arriscado. Como exemplo podemos pontuar dois casos no Rio de Janeiro, onde senhores foram dar atenção a uma mulher na fila do banco e ela levou o dinheiro deles, cerca de três mil reais”, contou Zoraia.

Ao sair do estabelecimento, observe todas as direções e verifique se não tem ninguém  seguindo você

Ao perceber que está sendo seguido, procure um ponto seguro da rua, entre em algum estabelecimento comercial e peça ajuda. Relembrando a última matéria publicada no dia de ontem (06), se estiver longe de algum lugar movimentado, ande sempre atravessando a rua para ter certeza de que está sendo seguido de fato. 
A subtenente Zoraia passou algumas recomendações sobre como agir.

 “É fundamental que se observe o ambiente, se as pessoas próximas estão sinalizando algo, se alguém se aproximou demais de você, e outro fator importante, os olhares, porque muitos ladrões se comunicam desta forma”, disse.
Nunca revele a sua senha para terceiros

Este tipo de recomendação parte das próprias agências bancárias, mas que na maioria das vezes acaba não sendo seguida pelos correntistas. 

Por medida de segurança a senha não deve ser revelada nem mesmo a amigos. Sempre vai existir alguém que saiba a sua senha, irmão, mãe, pai, filho, pessoas de sua extrema confiança. Neste caso tudo bem, mas fora os familiares mais próximos, não se deve passar para mais ninguém.

Evitar sacar grandes quantias de dinheiro

Ao evitar sair do banco com uma grande quantia em dinheiro, a pessoa dificulta a ação criminosa. Mas quando sai desprevenido e com um valor muito alto, vira alvo fácil. Porque geralmente tem alguém vendo, e pode seguir a vítima para dar o golpe durante a saída de banco. 

Outra dica é evitar também fazer grandes saques, procurando realizar os pagamentos no cartão de débito e crédito. 

Pessoas idosas devem fazer-se acompanhar de algum membro da
 família ao se dirigirem aos bancos e caixas eletrônicos

As pessoas idosas são mais frágeis, e consequentemente, mais vulneráveis a este tipo de crime, ficando mais fácil de serem observadas, seguidas e virarem alvos de assaltantes. “O ideal é que essas pessoas sempre andem acompanhadas ao se dirigirem ao banco, a não ser que não tenha realmente com quem ir”, concluiu Zoraia.

CASO SEJA ABORDADO POR ALGUM  ELEMENTO QUE ANUNCIE O ASSALTO: 

• E NÃO REAJA 
• E NÃO FAÇA MOVIMENTOS BRUSCOS
• E ENTREGUE O QUE FOR PEDIDO 
• E REGISTRE A OCORRÊNCIA

Autor: Vanêssa Cunha | vanessa@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:


publicidade

View Site in Mobile | Classic
Share by: