Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

A Capital do Petróleo: Macaé no cenário mundial

Macaé busca agora um novo desafio: o de garantir a diversificação econômica

Em 30/07/2012 às 15h48


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Ao longo dos seus 199 anos, Macaé construiu a sua imagem como potência econômica através dos espíritos de empreendedorismo e vanguardista de homens e mulheres que contribuíram com o processo de transformação de uma pacata e bucólica cidade, conhecida por suas belezas naturais como Princesinha do Atlântico, em um município com ar e rotina de metrópole, ganhando assim o reconhecimento como a Capital Nacional do Petróleo.

Antes voltada a culturas rurais e da produção pesqueira, a economia do município seguiu todo o processo de evolução registrada no país, passando pelo desenvolvimento industrial, e alcançando atualmente a dinâmica produtiva do petróleo, considerada hoje como o segundo mecanismos de sustentação do mercado internacional financeiro.

Apresentando o potencial turístico, muito explorado no passado, porém esquecido no presente, a cidade se viu obrigada a passar por um processo de transição econômica que impactou diversos setores ligados ao atendimento da sociedade, modificando a cultura, as raízes e a identidade de uma cidade que abriu as suas portas para o mundo.

Impulsionada por vários anos pela atuação do comércio local, a economia passou a contar com a injeção de investimentos milionários, atraídos pelo parque industrial capaz de abrigar milhares de empresas de diferentes nacionalidades, todas com os olhares atraídos pelas riquezas provenientes do fundo do mar.

Ao ser considerada como polo de uma região denominada "Emirado do Petróleo" do Rio de Janeiro, ao concentrar em seu território a produção de mais de 80% do petróleo extraído em todo o país, Macaé alcançou um status restrito a poucas cidades do mundo: o de concentrar um orçamento calculado na casa dos bilhões.

Toda essa riqueza acumulada pelos cofres públicos provém da atividade do petróleo que, através dos royalties (termo relacionado a compensação financeira referente aos impactos ocasionados pela atividade), e da Participação Especial, é capaz de proporcionar à administração da cidade cerca de R$ 500 milhões ao ano, segundo dados financeiros referentes ao exercício da gestão pública de 2010.

Todo esse volume de recursos é capaz de alavancar também a arrecadação de impostos e taxas captadas pelo governo municipal, que ajudam a garantir um orçamento total de R$ 1,6 bilhão, conforme previsto pela Prefeitura para este ano.
Se a cidade hoje é reconhecida pelo crescimento determinado pela dinâmica produtiva do petróleo, o que gerou assim uma série de problemas e desafios assumidos pela administração municipal, a projeção apresentada por especialistas para os próximos cinco anos é do registro de um novo "boom" de desenvolvimento, impulsionado através dos avanços na exploração do petróleo nas camadas do pré-sal, projeto que segue a passos largos através dos investimentos da Petrobras.

E por falar na estatal brasileira, por concentrar um dos maiores parques industriais e logísticos do país, voltado ao setor offshore, Macaé seguirá atraindo grandes investimentos capazes de modificar até mesmo a realidade de todo o Estado do Rio de Janeiro.

Através de uma nova projeção de investimentos anunciados pela Petrobras durante os próximos cinco anos, Macaé será capaz de atrair cerca de 60% do total de R$ 389 bilhões que serão aplicados pela estatal no segmento offshore, dentro e fora do país. 

Essa projeção representa também a atração de novas empresas, e de mais mão de obra qualificada, fortalecendo o potencial do município e reunir a população com um dos maiores poderes aquisitivos do Estado, capaz de garantir a evolução do comércio varejista e de outros setores, como a especulação imobiliária, a venda de carros e outros bens de consumo e serviços.

"Sem dúvida Macaé entra em um dos seus grandes momentos econômicos. A nossa dinâmica do petróleo será capaz de bancar todos os investimentos propostos para a evolução da exploração do pré-sal. Isso garantirá mais negócios para a nossa cidade, gerando também oportunidades de emprego para a população", afirmou o presidente do Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico (Fumdec), Francisco Navega.

Ainda com grande potencial para apresentar novas descobertas em águas profundas, Macaé busca agora um novo desafio: o de garantir a diversificação econômica.

Através dessa proposta, incentivos para a aplicação de investimentos de pequenos e médios empresários em setores não ligados diretamente a indústria do petróleo estão sendo fomentados, o que garante a preservação do sistema econômico do município.

"Esse é um desafio que todos os municípios produtores de petróleo enfrentam atualmente. A ideia de diversificar a economia diminui a dependência da cidade em apenas um segmento, garantindo a preservação de todo o sistema mesmo após a era do petróleo", apontou Navega.

Mesmo com todas as dificuldades, Macaé ainda busca a oportunidade de expandir ainda mais a sua imagem no cenário internacional.


    Compartilhe:


publicidade

View Site in Mobile | Classic
Share by: