Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Tese de doutorado sobre Macaé e Campos conquista primeiro lugar em concurso da Aperj

Essa vitória no concurso de monografias foi publicada no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, no dia cinco de setembro de 2013

Em 24/09/2013 às 13h46


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Nas águas do canal - política e poder na construção do Canal Campos - Macaé' leva o nome do município para meio acadêmic Nas águas do canal - política e poder na construção do Canal Campos - Macaé' leva o nome do município para meio acadêmic
A doutora em História e profissional lotada no Solar dos Mellos, da Prefeitura de Macaé, a professora Ana Lúcia Nunes Penha conquistou o primeiro lugar no concurso para monografias do Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro (Aperj). Como prêmio, sua tese, intitulada "Nas águas do canal - política e poder na construção do Canal Campos - Macaé (1835-1875)", será publicada. Serão mil exemplares.

Ela exerce atualmente a função de professora do curso de História na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Macaé (Fafima). 

Essa vitória no concurso de monografias foi publicada no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, no dia cinco de setembro de 2013. Houve seis monografias candidatas. A segunda colocada tratava da união dos trabalhadores favelados e a resistência ao controle negociado das favelas cariocas (1954-1964). E a que ficou em terceiro lugar se remete à memória e seus usos políticos na favela do Borel.

Ana Lúcia disse que seu trabalho busca investigar as relações econômicas e políticas engendradas na construção do canal Campos - Macaé, ambicioso projeto que ligou os dois municípios fluminenses.

- Entre seus principais protagonistas destacou-se José Carneiro da Silva, o Visconde de Araruama, importante chefe político regional. As escavações foram feitas pelos proprietários de terras das localidades. Objeto da expectativa de fazendeiros locais e da administração provincial fluminense, a obra, iniciada por volta de 1845, estendeu-se por quase trinta anos sem, contudo, alcançar os resultados que eram esperados - explica.

O canal tem cerca de cem quilômetros. Sai de Macaé, passa pelo Barreto, Jurubatiba, Carapebus, Quissamã e chega a Campos. Sua construção foi de 1845 até 1872, quando foi dado como concluído.

Nesse trabalho de doutorado, Ana Lúcia fez pesquisas no Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, em Botafogo, no Rio; na Biblioteca Nacional, no Centro da capital; no Arquivo Nacional, no Centro dessa mesma cidade e nos arquivos das Câmaras Municipais de Macaé e de Campos dos Goytacazes.

- O trabalho visita a história desse canal, que faz parte da história de Macaé e de Campos. Aprofunda a análise sobre os protagonistas dessa construção, como o Visconde de Araruama, além de pequenos e grandes fazendeiros e comerciantes - completa a doutora em História.



Autor: Assessoria

Foto: Moisés Bruno


    Compartilhe:


publicidade

View Site in Mobile | Classic
Share by: