Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Área nobre continua sofrendo com lixão

Loteamentos Jardim Vitória I e II continuam acumulando problemas devido ao abandono do poder público

Em 26/06/2017 às 14h53


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Moradores lamentam o abandono em vista do alto valor pago em impostos todos os anos Moradores lamentam o abandono em vista do alto valor pago em impostos todos os anos
Em cinco anos, o Bairros em Debate esteve várias vezes visitando os loteamentos Jardim Vitória I e II, situados na área nobre da cidade. Desde então, apesar de inúmeras promessas, pouca coisa mudou. Pelo contrário. Os moradores alegam que muitos problemas foram surgindo e outros se agravaram. 

Um caso antigo, que já tomou conta das páginas do jornal inúmeras vezes, continua sendo motivo de reclamações: os lixões que, infelizmente, já se tornaram uma característica local. 

Mas, para quem pensa que as situações caóticas param por aí, está enganado. Além dos lixões, o Jardim Vitória também tem visto crescer o número de buracos. É quase que uma missão impossível encontrar uma rua que não tenha, pelo menos, um dano no pavimento. 

Conversando com alguns moradores, desde a última visita da equipe de Bairros em Debates, que aconteceu em março, os problemas só aumentaram. A situação tem deixado quem vive ali indignado. 

A população contesta o alto valor pago em impostos todos os anos, e que não vem sendo revertido em benefício da localidade, que é conhecida pelas ruas tranquilas e belas residências. Por trás dessa imagem de bairro-modelo se escondem diversas demandas importantes a serem atendidas quanto à infraestrutura.

O Jardim Vitória fica localizado em um ponto pouco frequentado, mas a poucos minutos da região central. Apesar de ter sofrido um forte crescimento nos últimos anos, é comum ver grande quantidade de casas ainda sendo erguidas. Os diversos terrenos vazios demonstram que a tendência é que o número de residências aumente ainda mais nos próximos anos. 

Buracos se tornam uma ameaça

Desde que foi fundado, o loteamento poucas vezes recebeu serviços de manutenção nas ruas. A prova disso pode ser vista por qualquer pessoa que circule pelas redondezas. O que antes era um pequeno buraco hoje já se tornou uma enorme cratera.
Entre os pontos críticos estão as vias de acesso. "Eles fizeram o serviço de tapa-buraco em alguns pontos, mas outros continuam lá causando transtornos para a população", diz o morador Sílvio Bisneto. 

Buracos comprometem a segurança nas principais vias do loteamento

Ele relata que um dos pontos críticos fica bem na entrada do bairro. "Quando chove é até perigoso passar porque a água esconde os buracos e corre-se o risco de acontecer um acidente. Muitos estão buscando outras vias próximas como alternativa, mas até elas estão precisando de manutenção. Está horrível", declara ele, ressaltando que acidentes já ocorreram por conta disso.




"Com as crateras, os carros estão tendo que desviar, só que isso acontece bem na entrada, em uma curva, onde muitos entram em alta velocidade para cruzar a Estrada Santa Mônica. Está tendo acidente direto aqui. Inclusive já morreu gente em acidente de moto nesse trecho. Esse acesso está horrível", conta. 

O cenário é mais crítico no ponto final do ônibus, onde o asfalto já se deteriorou. "Existem trechos que dão a impressão que nunca foram pavimentados, mas na verdade isso é reflexo da falta de manutenção. E quando chove, os coletivos quase atolam na lama", relatou uma moradora, que não quis se identificar. 

Risco de acidentes

Motoristas circulam acima dos limites permitidos 


Outro pedido é em relação a entrada do bairro pela Nova Macaé, onde os condutores estariam transitando acima dos limites de velocidade permitido. "Eu moro bem próximo as duas ladeiras e vejo toda hora o povo descendo a 80km/h, 100km/h. Principalmente de madrugada. Um perigo. Os motociclistas caem toda hora aqui porque não conseguem frear a tempo. Tem que pôr um redutor nas duas descidas. Eu tenho medo de que um carro invada a minha casa a qualquer hora", diz Sílvio. 

Descarte irregular gera diversos problemas

Quem vive no Jardim Vitória diz que não aguenta mais conviver com o problema gerado pelos entulhos e lixos depositados em locais inapropriados. Como o bairro cresce a cada dia, os terrenos baldios têm virado depósitos, causando muitos transtornos para os vizinhos.

Lixão se tornou "popular" dentro do bairro 


Segundo os moradores, essa prática tem acontecido com frequência, gerando diversos tipos de danos para quem vive nas proximidades. 

Assim, por consequência, surgiu a questão das zoonoses. Moradores relatam que já apareceram dentro de suas casas ratos, baratas e até cobras.

Há anos o jornal também vinha relatando o problema de um enorme lixão no Jardim Vitória II, próximo à Estrada Santa Mônica. Para evitar que o quadro se agravasse, o acesso ao local foi isolado. Mas quando os moradores pensaram que essa situação já havia sido sanada, o problema voltou a acontecer e, para desespero deles, só tem se agravado.

A nossa equipe chegou a flagrar dois homens em um veículo de passeio fazendo descarte em plena luz do dia. Intimidados com a presença do jornal, os dois fugiram do local no momento. 

A grande quantidade de lixo e de entulhos é grande, principalmente restos de comida, e quem vive ali teme que isso só piore. "Pessoas de fora vem, seja de dia ou noite, e jogam de tudo ali. Há até restos de manilhas e resíduos que parecem ser de empresas. Como não tem fiscalização, isso aqui vira essa bagunça e quem paga no final são os moradores", diz um morador que não quis se identificar. 

Loteamentos não contam com áreas de lazer

Quando se trata de lazer, que é um direito de cada cidadão, os loteamentos Jardim Vitória I e II deixam muito a desejar. A população ressalta a inexistência de praças. Enquanto isso, crianças e jovens brincam pelas ruas, situação que pode ser perigosa, dependendo do lugar.

"Realmente é algo que faz falta. Poderiam aproveitar algum terreno desses, até o central da principal, porque atualmente não temos nada. Não tem condições das crianças ficarem na rua, então o jeito é ficar preso dentro de casa ou ir para outros bairros", diz o morador. 

Em 2015, a prefeitura disse que ainda estava fazendo um levantamento das demandas em toda a cidade. Quando o estudo fosse finalizado e os processos licitatórios concluídos, as obras começariam a ser feitas, beneficiando diversas áreas do município, inclusive o Jardim Vitória. Passou o tempo e a promessa não foi cumprida. 

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: bairros em debate


View Site in Mobile | Classic
Share by: