Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Macaé presta homenagem à memória de Cláudio Moacyr de Azevedo

Após 22 anos de sua morte, ex-prefeito e ex-deputado estadual ainda é ícone da política macaense

Em 07/08/2017 às 12h12


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Cláudio Moacyr de Azevedo é relembrado por trajetória de sucesso na política regional Cláudio Moacyr de Azevedo é relembrado por trajetória de sucesso na política regional
Presente nos corações dos macaenses mais antigos, e no dia a dia das pessoas que frequentam espaços e patrimônios arquitetônicos da cidade, a memória do ex-prefeito e ex-deputado estadual Cláudio Moacyr de Azevedo é reverenciado na data em que se completou 22 anos de sua morte.

Ao se tornar íncone da política regional, Cláudio deixou saudades desde sua partida, no dia 4 de agosto de 1995.
Após um processo infeccioso provocado por diverticulite, quadro generalizado registrado uma semana após passar por um complexo procedimento cirúrgico no coração, Cláudio estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Instituto do Coração de São Paulo.

As páginas de O DEBATE registram que, após atestada a sua morte, o então deputado Aloísio Gama, junto a outros parlamentares, providenciou um avião para realizar o translado do corpo de Cláudio Moacyr, de São Paulo até o Aeroporto de Macaé.

Conforme relato das páginas de O DEBATE, na edição do dia 5 de agosto de 1995, o jatinho Citation I, prefixo PT-LPZ, da Complemento Táxi Aéreo, pousou às 17h13 do dia 4 de agosto de 1995 no Aeroporto de Macaé. O translado do corpo do ex-prefeito e ex-deputado estadual foi acompanhado pela esposa Maria Cirlei Sanches de Azevedo e pela filha Cláudia Maria.

Em carro aberto do Corpo de Bombeiros, o caixão seguiu pelas principais ruas da cidade até chegar ao Palácio do Poder Legislativo, prédio que hoje recebe o seu nome em homenagem e honra à memória de um dos mais célebres políticos que Macaé e o Estado já tiveram.

O velório aconteceu até às 12h30 do dia 5 de agosto de 1995, quando um novo cortejo seguiu em direção à Igreja de Sant'Anna. Após uma nova prece, o corpo foi levado por membros da Confraria de Sant'Anna até ser sepultado no mesmo jazigo de sua mãe, Dona Zelita Rocha.

Trajetória política de um grande líder

Cláudio Moacyr de Azevedo iniciou a sua carreira política na década de 60, quando deu os primeiros passos rumo à administração da cidade.

Filiado historicamente ao MDB, partido marcado pela oposição ao regime militar, Cláudio ganhou evidência na cidade ao defender, já na carreira de advogado, presos e cassados políticos da ditadura militar, entre os anos de 1964 e 1968, em especial ferroviários perseguidos pelo regime. Na época foi admitido na Fundação Educacional Luiz Reid.

Elegeu-se prefeito de Macaé em 1966, dando início, no ano seguinte, a uma administração marcada por feitos importantes, como a reconstrução do Mercado Municipal, a construção de escolas na Serra de Macaé, e também a pavimentação de estradas de acesso ao município. O seu mandato foi encerrado em 1970.

A partir daí, ele seguiu carreira política na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), elegendo-se para o primeiro mandato em 1971. Na Alerj, ele assumiu a presidência do parlamento estadual em 1977, já em seu segundo mandato. Ele se reelegeu até 1986. Em 1992, concorreu novamente às eleições municipais, mas não obteve sucesso.
Até 1993, militou em defesa da Fundação Educacional Luiz Reid.

Autor: Márcio Siqueira marcio@odebateon.com.br

Foto: Arquivo O DEBATE


    Compartilhe:

Tags: geral, política


View Site in Mobile | Classic
Share by: