Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Curso de Medicina da UFRJ entre os três melhores do estado

Apesar de ter obtido nota três (de uma escala de 0 a 5) o curso ficou abaixo apenas do oferecido pela UERJ e UFRJ Rio

Em 13/09/2017 às 11h21


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

O curso de Medicina oferecido pela UFRJ Macaé conta com uma média de 300 alunos matriculados O curso de Medicina oferecido pela UFRJ Macaé conta com uma média de 300 alunos matriculados
O Ministério da Educação (MEC) divulgou, na última sexta-feira (1º), os resultados do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), referente à prova aplicada a alunos concluintes de cursos de graduação em 2016. Segundo o órgão, foram avaliados 4,3 mil cursos nas áreas da saúde e das ciências agrárias.

Ainda segundo informações, também foram divulgados dois indicadores calculados a partir deste exame: o Conceito Enade e o Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD).  

Os indicadores calculados foram para os cursos com participantes concluintes do Enade 2016, que envolveram as áreas de Agronomia; Biomedicina; Educação Física; Enfermagem; Farmácia; Fisioterapia; Fonoaudiologia; Medicina; Medicina Veterinária; Nutrição; Odontologia; Serviço Social; Zootecnia; Tec. em Agronegócio; Tec. em Estética e Cosmética; Tec. em Gestão Hospitalar e Tec. em Gestão Ambiental. 

Segundo as notas divulgadas, o curso de Medicina oferecido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Campus Macaé Professor Aloísio Teixeira ficou entre os três melhores do estado do Rio. Em uma escala de 0 a 5 a graduação obteve nota 3 no conceito Enade. O primeiro lugar ficou com o curso oferecido pela UERJ Rio de Janeiro (com nota 4) e  o segundo pela UFRJ Rio de Janeiro (também com nota 4). 

Em entrevista à redação do Jornal, o atual coordenador do curso do campus Macaé, o professor Joelson Tavares disse que um dos objetivos de sua gestão é elevar essa nota. "Sabemos que apesar de ter ficado em terceiro lugar a nota três não é uma nota excelente, por isso nosso objetivo é aumentar esse conceito", disse o coordenador.   

Ainda segundo informações do MEC, o Conceito Enade - é um Indicador de Qualidade que avalia os cursos por intermédio dos desempenhos dos estudantes no Enade, na parte de Formação Geral (FG), calcula também o desempenho dos estudantes concluintes na parte de Componente Específico (CE) e o total de estudantes concluintes que participaram do Enade. Para divulgação desse cálculo é necessário que pelo menos os cursos tenham dois estudantes concluintes e participantes do exame. O Curso que não tiver essa quantidade fica "Sem Conceito (SC)".  

O MEC esclarece ainda que os cursos por Faixa do Conceito Enade, 40% deles estão na faixa três. Em relação às redes públicas e privadas, na faixa três: 44% das redes privadas e 26% das redes públicas estão nessa faixa. Já na faixa quatro: 43% das redes públicas e 19% das redes privadas estão nessa faixa. Na última faixa: 16% das redes públicas e 3% das redes privadas estão incluídas na faixa 5.

E não para por ai. Os dados apontam que um a cada quatro cursos de nível superior que foram avaliados teve nota abaixo do exigido e de 4,3 mil graduações que passaram pelo crivo do governo, 27% tiveram notas 1 e 2 consideradas insastifatórias. 
O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) avalia o rendimento dos concluintes dos cursos de graduação, em relação aos conteúdos programáticos, habilidades e competências adquiridas em sua formação. Ele é obrigatório e a situação de regularidade do estudante no Exame deve constar em seu histórico escolar. A primeira aplicação do Exame ocorreu em 2004 e a periodicidade máxima da avaliação é trienal para cada área do conhecimento.

A iniciativa tem como objetivo avaliar o desempenho dos estudantes com relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos de graduação, o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional, e o nível de atualização dos estudantes com relação à realidade brasileira e mundial, integrando o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). 

O conceito é apresentado em cinco categorias (1 a 5), sendo que 1 é o resultado mais baixo e 5 é o melhor resultado possível na área. O mesmo é composto pela prova feita pelos alunos (ingressantes e concluintes) e questionários (alunos e coordenação), em um comparativo de dados. 

Autor: Juliane Reis Juliane@odebateon.com.br

Foto: Kaná Manhães


    Compartilhe:

Tags: educação


View Site in Mobile | Classic
Share by: