Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

PMERJ confirma abastecimento das frotas apenas nas unidades internas da corporação

Atraso no pagamento dos títulos vencidos à BR Distribuidora seria o motivo do cancelamento

Em 26/10/2017 às 11h39


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

As viaturas seguem sendo abastecidas nas unidades internas da corporação. Além disso, após perder contrato de manutenção As viaturas seguem sendo abastecidas nas unidades internas da corporação. Além disso, após perder contrato de manutenção
Após mais de um ano, a história se repete no Estado do Rio de Janeiro, devido à crise que continua a aterrorizar as contas do estado, o abastecimento das frotas da Polícia Militar (PM) está sendo feito apenas nas unidades internas da corporação. 
De acordo com as informações, no dia 24 de outubro, a BR Distribuidora (fornecedora de combustível para os órgãos da administração pública) cancelou o abastecimento das viaturas nos pontos externos.

No entanto, a comunicação da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) informou que a Diretoria de Logística ressaltou que não há o desabastecimento da frota e as viaturas estão sendo abastecidas internamente, ou seja, nos próprios batalhões. O comandante do 32º Batalhão de Polícia Militar (BPM), coronel Marco Aurélio Vollmer, afirmou, também por meio da nota da comunicação, que a sua frota não tem enfrentado problemas no abastecimento. 

O último problema enfrentado pela PMERJ neste sentido foi em novembro de 2016, quando a BR Distribuidora avisou à Secretaria Estadual de Planejamento a decisão de corte do fornecimento de combustível, às viaturas das Polícias Militar e Civil, além das ambulâncias das unidades de Saúde de todo o Estado. A dívida do governo estadual com a empresa, na época, era de R$ 31.386.426,38. Desta vez, os números não foram divulgados.

Além disso, a PMERJ não informou se há um prazo para que a situação seja resolvida. 

CRISE

Também no meio do ano passado, a PMERJ passou por mais um fim de contrato, que afeta diretamente os serviços prestados à população. No dia 6 de setembro, a Polícia Militar passou a se responsabilizar pela manutenção das viaturas. O término de um dos contratos de manutenção da frota da PM com a CS Brasil Transporte de Passageiros e Serviços Ambientais Ltda. devolveu às unidades da corporação a obrigação de manutenção de todas as viaturas da polícia. O contrato encerrado foi o de nº 027/2011. 

No Diário Oficial de abril, a Secretaria de Estado da Casa Civil fez confissão de dívida relacionada aos meses de novembro e dezembro de 2015, no total aproximado de pouco mais de R$ 8,2 milhões. Há outros contratos em vigor de aquisição de viaturas e manutenção com confissão de dívida de R$ 6,1 milhões.

Em setembro, a Comunicação da PM informou à nossa equipe que já estava com novo processo de licitação em andamento, e que o orçamento das unidades poderá absorver os custos de reparos dos veículos. Porém, até hoje, a PM continua sendo responsável pela manutenção das viaturas.

Autor: Ludmila Fernandes ludmila@odebateon.com.br

Foto: Kaná Manhães/Arquivo


    Compartilhe:

Tags: polícia


View Site in Mobile | Classic
Share by: