Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Oposição se fortalece e prepara anúncio de novos membros hoje

Grupo de resistência pode se tornar maior que a base aliada do governo

Em 14/11/2017 às 15h08


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Oposição articula entrada de novos membros ao grupo de resistência ao governo na Câmara Oposição articula entrada de novos membros ao grupo de resistência ao governo na Câmara
Estão para ser oficializadas, nesta terça-feira (14), as informações que movimentaram o cenário político de Macaé no último final de semana: o bloco de oposição na Câmara de Vereadores anunciará novos integrantes, podendo se tornar maior que a base aliada do governo na "Casa do Povo".

Ontem (13), os novos membros da oposição voltaram se reunir com o líder, Marcel Silvano (PT), e com os articuladores do grupo de resistência ao governo, Luiz Fernando (PT do B) e Maxwell Vaz (SD). O encontro consolidou a aliança firmada na sexta-feira (10), dia em que a oposição saltou de seis para oito membros.

"O que ocorre é a unificação de discursos diante de um clima de insatisfação muito grande. O desrespeito à independência dos poderes, a falta de diálogo e a pressão sobre o Legislativo, em casos que ferem a constitucionalidade e até o interesse coletivo, reforçam a resistência a um governo que não sabe respeitar qual é o papel da Câmara. E isso se complica cada vez mais", disse o líder do bloco de oposição, Marcel Silvano.

Hoje, além de Marcel, Maxwell e Luiz Fernando, a oposição é composta também por Renata Paes (PSC), Marvel Maillet (REDE) e George Jardim (PMDB). 

Val Barbeiro (PHS), que já declarou oposição ao Executivo, segue um perfil mais independente dentro do plenário.
E essa nova composição da oposição pode tornar o grupo de resistência ao Executivo maior que a bancada de governo, composta hoje por Márcio Bittencourt (PMBD), Dr. Eduardo (PPS), Welberth Rezende (PPS), Cesinha (PROS), Alan Mansur (PRB), Luciano Diniz (PMDB), Paulo Antunes (PMDB) e Julinho do Aeroporto (PMDB).

"Nosso trabalho é consciente, de acordo com a demanda da população. Não é apenas um discurso político, mas sim uma vontade de construir uma cidade melhor. Quando o governo não entende o nosso papel como vereadores, esse clima de insatisfação acaba crescendo", disse Maxwell Vaz.

O fortalecimento do bloco de oposição cria uma situação complicada para o governo na Casa.

Com maior número, o grupo de resistência garantiria a aprovação de uma série de requerimentos antes derrubados pelos governistas. Entre os principais está uma sequência de pedidos de convocação de secretários, e até do próprio prefeito, conforme está previsto no regimento interno e na Lei Orgânica do município.

Bancada em silêncio

Por enquanto, o governo aguarda a oficialização dos novos integrantes do bloco de oposição para agir.
Enquanto o grupo de resistência se organiza para ampliar o número de votos em plenário, a bancada governista não programou nenhum tipo de movimentação à espera de decisões que cabem ao Executivo.

Por ora, o clima de insatisfação não ronda apenas a oposição. Aliados do governo também demonstram descontentamento com a obrigação de votar matérias que colocam a Casa em posição delicada frente a segmentos de servidores e junto à própria sociedade.

Autor: Márcio Siqueira

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: política


View Site in Mobile | Classic
Share by: