Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Jardim Esperança vive à espera de dias melhores

Enquanto obras de infraestrutura não são concluídas, moradores sofrem com a lama e o esgoto a céu aberto

Em 04/12/2017 às 11h26


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Após medidas emergenciais terem sido feitas, população segue aguardando conclusão das obras previstas para 2018 Após medidas emergenciais terem sido feitas, população segue aguardando conclusão das obras previstas para 2018
Nas últimas duas semanas, o jornal O DEBATE tem acompanhado de perto o drama dos moradores do Jardim Esperança, que vêm enfrentando dificuldades para entrar e sair de suas casas após as fortes chuvas que atingiram a cidade. Enquanto as obras de urbanização, que deveriam ter sido entregues no início desse ano, seguem em ritmo lento quase parando, a população vem enfrentando muitos transtornos.

O descaso, segundo eles, é tanto que, com o intuito de chamar atenção das autoridades foram feitas duas manifestações na semana passada. E a união dos moradores já começou a surtir efeito. Essa semana a prefeitura realizou um trabalho emergencial em algumas vias do bairro para facilitar o acesso da população nas ruas que, até então, estavam isoladas por conta da lama.

"Estão fazendo o paliativo como medida emergencial, mas o que nós queremos mesmo é que as obras sejam concluídas", declarou o morador João Batista Lelis dos Santos, que vive há cerca de oito anos no Jardim Esperança. "Até então a gente estava sem conseguir se locomover. Eu que moro na Rua 7 não conseguia passar de carro, só a pé na lama. Teve pessoas que passaram mal e não puderam ser socorridas. As crianças ficaram dias sem ir à escola, trabalhadores estavam tendo dificuldades para ir para o serviço. É complicado", lamenta João. 

Segundo ele, a situação no bairro piorou depois que colocaram barro vermelho nas ruas após a instalação das redes de esgoto, água e drenagem. "Desde que as intervenções começaram, a situação só tem piorado, ainda mais depois que jogaram esse barro aqui. Foi isso que causou esse caos todo no bairro. Tanto que foi preciso jogar dessa vez um material mais resistente nas ruas para que a gente possa ter acesso à parte interna do bairro", completa. 


Comunidade precisa se deslocar para ter acesso a serviços

Se em alguns lugares os serviços de infraestrutura deixam a desejar, no Jardim Esperança eles nem existem. O bairro não conta com creches, escolas e nem com posto de saúde. Toda vez que a população precisa desses serviços, é obrigada a se deslocar para bairros próximos. 

Moradores cobram a construção de área de lazer no bairro 


"Essa é uma área totalmente residencial, que não conta com nenhuma infraestrutura. Não temos creche, escolas e nem unidade de saúde. Nem mesmo um comércio a gente tem. O jeito é ir ao Parque Aeroporto", relata o presidente da Associação de Moradores, Carlos Roberto da Silva.

Área de lazer também é outra coisa que não existe na comunidade. Sem nenhuma praça, as crianças e jovens do bairro contavam, até algum tempo atrás, apenas com um campo de terra, construído pela comunidade em um terreno particular cedido pelo proprietário.

"Esse terreno acabou sendo alugado para a empresa que faz a obra. Com isso, a única opção que ainda existia acabou. Hoje o Jardim Esperança não tem lazer nenhum. As crianças só têm a rua ou a praça do Parque Aeroporto", relata João. 
E mesmo estando a poucos metros do bairro vizinho, os pais têm receio de deixar os filhos irem até lá, principalmente sozinhos.

"Temos muitas crianças e adolescentes aqui no bairro, precisamos de um espaço para elas brincarem. A gente fica com medo de deixá-las irem para outros lugares porque tem o risco de serem atropeladas ao atravessar a Avenida Hildebrando Alves Barbosa", alerta.

Esgoto a céu aberto

Liderando a lista de reclamações, o saneamento é uma das maiores carências no bairro. Isso é um grave problema, pois o esgoto bruto correndo a céu aberto, na porta das casas, serve de criadouro para insetos e ratos. 

Esgoto corre a céu aberto há anos na via principal do Jardim Esperança


Os moradores relatam que, quando chove, a situação fica ainda pior, pois a rua alaga e o esgoto se mistura com a água. Além do mau cheiro, isso acaba sendo um foco para doenças e problemas de zoonoses. 
Um dos principais benefícios do investimento em esgotamento sanitário é o fim das valas negras que ainda existem em alguns locais, representando uma grave ameaça à saúde das pessoas que moram perto delas.




"Tem que dar um jeito nesse esgoto a céu aberto. É um risco para a nossa saúde", desabafou um morador que vive em frente ao problema. "Quando chove os dejetos invadem as casas. Quando está sol é o mau cheiro que incomoda", ressalta.

Moradores cobram visita do CCZ

Um dos serviços que estão em falta com a comunidade é o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). De acordo com os moradores, é raro receber uma visita do órgão no bairro. "Nós necessitamos e temos muitas dificuldades de conseguir atendimento. Uma vez procurei eles e alegaram que não passam o fumacê porque a população estaria reclamando que faz mal, sendo que isso não é verdade. Não sei de onde tiraram isso", diz o presidente do bairro.

Moradores solicitam a visita de equipes do CCZ 


Enquanto isso, ratos e mosquitos se proliferam no bairro. "Tem dado muito bicho aqui. Os mosquitos, então, nem se fala. Dá 5h, 6h da tarde e a gente tem que fechar tudo. Não tem remédio que dê jeito", relata João. "Nosso medo é com o Aedes aegypti. Essa época é mais favorável para dengue e outras doenças provocadas por ele. Precisamos que o órgão venha e nos dê atenção", solicita.

Ação Social no dia 9

Em meio a tantos problemas, os moradores ainda encontram forças para fazer o bem a quem mais precisa. Pensando em ajudar o próximo, será realizada no dia 9 uma ação social. "Vamos fazer um evento para a população com apoio da Cruz Vermelha, que vai estar aqui cuidando da saúde das pessoas, como aferir pressão e teste de glicose e dando orientações. Também teremos ação voltada para a saúde bucal, principalmente para as crianças, além da distribuição de roupas", conta João, um dos organizadores ao lado de Carlos Roberto e José Andrade.

O evento acontecerá das 8h às 17h, no Galpão da Rua 5. "Convidamos a todos os moradores para comparecer no dia", faz o convite. 

O que diz a prefeitura

De acordo com a secretaria de Obras, os trabalhos de urbanização do bairro têm prazo estimado para conclusão em julho de 2018. As obras de drenagem estão 90% concluídas. No entanto, as concessionárias Cedae e Enel ainda não finalizaram as obras de ligações das trocas de rede de água e deslocamento dos postes. Após finalização da obra de drenagem e liberação das concessionárias, será iniciado o serviço de asfaltamento, previsto para março de 2018. Ela ressalta que os períodos de chuva podem fazer com que esse prazo seja alterado. 

No contrato não está prevista a construção de praças, unidades de saúde ou escola.

Já o CCZ disse que desconhece o argumento relatado e que realiza vistorias e ações de manutenção constantemente em todos os bairros do município.  Na próxima semana, agentes do CCZ irão ao bairro Jardim Esperança para realizar as ações necessárias. Para solicitações de visitas ou esclarecimento de dúvidas, o cidadão pode entrar em contato com o setor pelo email cczmacae@yahoo.com.br.

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: bairros em debate


View Site in Mobile | Classic
Share by: