Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Alunos fazem protesto em frente a Estácio

De acordo com informações, mais de um mil professores já foram demitidos, sendo oito de Macaé

Em 10/12/2017 às 09h48


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

De acordo com informações, mais de um mil professores já foram demitidos, sendo oito de Macaé De acordo com informações, mais de um mil professores já foram demitidos, sendo oito de Macaé
Na tarde desta sexta (8) estudantes e profissionais da Estácio de Sá, unidade Macaé participaram de um protesto em frente ao campus. O ato se deu em virtude da demissão em massa de professores da instituição em todo país. Segundo informações, só em Macaé oito docentes já foram demitidos. 

O ato foi uma iniciativa de alunos e ex-alunos com apoio do Sindicato dos Professores (Sinpro) de Macaé e Região
Uma estudante de Direito do 5º período que prefere não se identificar  disse que assim como outros discentes está apoiando o movimento que está sendo realizado em todo estado. "Estamos acompanhando tudo. O Ministério Público do trabalho (MPT) já divulgou uma nota dizendo que irá verificar as demissões. Somos contra essa decisão da Estácio. Temos caso de docentes com mais de treze anos de atividade na instituição que está entre os demitidos", disse a discente. 

A graduanda ressaltou ainda que  a instituição aguardou o período letivo chegar ao fim, os alunos se dispersarem para então começar com as demissões dos professores de disciplinas presenciais. "Agora essas matérias passarão a ser online, prejudicando também os alunos, ou seja, pagamos R$ 1.300,00 de mensalidade para sermos prejudicados dessa maneira", enfatizou.  

Outro participante que preferiu não se identificar disse que, com as demissões, todos os cursos estão sendo prejudicados e os alunos perdendo professores de alta qualidade. "Nossa luta é pela busca dos direitos dos trabalhadores que nesse caso são nossos professores que estão sendo exonerados e com isso a qualidade do nosso ensino acaba caindo drasticamente", disse.  

Além de Macaé outras unidades também estão realizando protesto. Em Cabo Frio um ato está sendo agendado e em Nova Friburgo, o movimento também estava marcado para sexta-feira (8). 

Segundo informações, os docentes foram dispensados para que a instituição pudesse adequar aos novos parâmetros permitidos pela reforma trabalhista para contratações. 
Além disso, com a decisão das demissões, todos os cursos foram afetados e os alunos acabaram perdendo professores de alta qualidade.  

O que diz a Estácio

Na manhã de sexta (8) o setor de Imprensa da Estácio informou por meio de nota que "O Grupo Estácio promoveu, ao fim do segundo semestre letivo de 2017, uma reorganização em sua base de docentes. O processo envolveu o desligamento de profissionais da área de ensino do Grupo e o lançamento de um cadastro reserva de docentes para atender possíveis demandas nos próximos semestres, de acordo com as evoluções curriculares. Esta reestruturação não tem nenhuma relação com as novas regras estipuladas pela chamada "Reforma Trabalhista".

As novas contratações ocorrerão exatamente no mesmo regime de trabalho dos professores que estão sendo desligados. Portanto, a alegação de que a Companhia supostamente estaria realizando um desligamento em massa para se beneficiar das novas regras trabalhistas não procede. Não se trata de recontratação dos mesmos professores que estão sendo desligados. A Legislação brasileira determina que eventuais desligamentos de professores só ocorram em janela muito restrita, o que faz com que o volume de desligamentos fique concentrado em curto espaço de tempo. 

Prova disso, é que não há desligamentos de docentes ao longo dos demais meses do semestre. A reestruturação está levando em consideração a qualificação dos professores de acordo com exigências do órgão regulador. A Estácio manterá o mesmo o rigor na contratação de seus docentes. A Estácio reafirma seu compromisso em manter a qualidade de ensino que conquistou com muito trabalho ao longo dos últimos anos."
A instituição não divulgou números relacionados a essa reestruturação. Segundo as informações, a reorganização tem como objetivo manter a sustentabilidade da instituição e foi realizada dentro dos princípios do órgão regulatório.
Foto: Divulgação
Arquivo: Geral - N1- Juliane
Legenda: Protestos estão sendo realizados em todo o país. Em Macaé, ato ocorreu na sexta (8)   

Autor: Juliane Reis Juliane@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: educação


View Site in Mobile | Classic
Share by: