Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Petrobras recupera com a Lava Jato quase R$ 1,5 bi

Recursos foram garantidos através de acordos de colaborações premiadas

Em 13/12/2017 às 12h26


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Companhia trabalha para implantar práticas de combate à corrupção, após investigações da Lava Jato Companhia trabalha para implantar práticas de combate à corrupção, após investigações da Lava Jato
A Petrobras recebeu na semana passada a devolução de R$ 653.958.954,96 milhões recuperados por meio de acordos de colaboração celebrados com pessoas físicas e jurídicas no âmbito da operação. O evento da maior restituição de valores dentro de uma investigação no país ocorreu na sede do Ministério Público Federal (MPF), em Curitiba (Paraná). Com esta devolução, o total de recursos transferidos para a Petrobras desde o início da operação atinge o montante de R$ 1.475.761.776,31 bilhão.

Já ocorreram outros repasses anteriores que totalizaram R$ 821.802.821,35. Todos os recursos já estão no caixa da companhia.  "Vamos continuar trabalhando em parceria com Ministério Público, Receita Federal, Polícia Federal e demais autoridades para trazer de volta tudo, tudo o que foi desviado", disse o presidente da Petrobras, Pedro Pullen Parente.
Também estiveram presentes no evento a procuradora-chefe do órgão, Paula Cristina Conti Thá, os procuradores da República que integram a força-tarefa Lava Jato na capital paranaense, representantes da Polícia Federal, Receita Federal e Justiça Federal do Paraná, e representantes da Transparência Internacional (TI).

"Somos uma empresa hoje que trabalha duro para ser mais segura para todos que interagem conosco. Somos uma empresa que trabalha duro para reduzir sua dívida e voltar a investir mais. Somos uma empresa que luta para recuperar sua reputação e que reafirma seu papel como uma fonte de orgulho para a sociedade brasileira. É para isso que trabalhamos", afirmou Parente.
Reconhecida pelas autoridades como vítima da corrupção investigada, a Petrobras seguirá adotando medidas jurídicas contra empresas e pessoas, inclusive ex-funcionários e políticos, que causaram danos financeiros e à imagem da companhia. A companhia atua como coautora com o MPF e a União em 13 ações de improbidade administrativa em andamento. Além de ser assistente de acusação em 43 ações penais. "A Petrobras vem fazendo seu dever de casa. Sei que assuntos de governança parecem áridos, mas são essas regras que nos fortalecem para dizer que hoje temos uma empresa completamente diferente do que foi no passado", disse o presidente.

Sérgio Moro

A Petrobras realizou o 4º evento "Petrobras em Compliance", no Rio de Janeiro. O encontro foi uma oportunidade para apresentar a evolução das iniciativas da companhia e debater as questões ligadas ao combate à corrupção, de forma mais ampla. 

O evento contou com a participação do presidente Pedro Parente, conselheiros, diretores, executivos da companhia, dos juízes federais Sérgio Moro e Marcelo Bretas e de Cláudia Taya, secretária de Transparência e Prevenção da Corrupção do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União. A Petrobras apresentou os resultados do fortalecimento do seu ambiente de compliance, especialmente as iniciativas preventivas que tem posto em prática.

Autor: O DEBATE

Foto: Agência Petrobras


    Compartilhe:

Tags: economia, offshore


View Site in Mobile | Classic
Share by: