Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Projeto Botinho pode ser suspenso em função da crise econômica

Falta de patrocinadores e verbas pode comprometer ação do Corpo de Bombeiros durante as férias escolares

Em 04/01/2018 às 11h28


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

A cada edição, centenas de crianças e adolescentes participavam do projeto que era realizado nas praias dos Cavaleiros e A cada edição, centenas de crianças e adolescentes participavam do projeto que era realizado nas praias dos Cavaleiros e
A edição 2018 do Projeto Botinho poderá ser suspensa pelo Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro (CBMERJ) devido ao grave cenário econômico do estado. Segundo corporação do 9° Grupamento de Bombeiros Militares (GBM), a decisão ainda não foi tomada e será analisada a viabilidade de execução do projeto dentro dos padrões exigidos em todo o estado. 

A iniciativa, que era realizada desde 1963, era considerada como uma colônia de férias na praia para as crianças.   
O projeto estadual englobava atividades físicas na areia e aulas sobre preservação ambiental. Além disso, crianças de 7 a 17 anos, recebiam orientações sobre as condições do mar, risco de afogamento, identificação de placas e noção de primeiros socorros. 

Em 2017, o projeto funcionou do dia 18 a 29 de janeiro e centenas de crianças e adolescentes realizaram a inscrição no município de Macaé, através do site da CBMERJ. 

Ao fim de cada edição do projeto, todos os participantes recebiam um certificado e ainda faziam uma demonstração das ações que aprenderam ao longo da formação.

Experiência - De acordo com Renan Medeiros, de 19 anos, o Projeto Botinho de Macaé teve papel importante em sua vida e lamenta que os frequentadores tenham que pagar pelos problemas de crise do estado.


"Eu fiz dois anos de Projeto Botinho, era algo realmente espetacular. O ambiente era diferente, de praia, aprendizado grande, uma mudança daquele espaço escolar. A convivência com os amigos junto a oportunidade de aprender, é muito interessante. As praias Cavaleiros e Campista eram muito movimentadas por conta do projeto e lamento muito o possível cancelamento para 2018, é uma perda muito grande para a população, um projeto que abrange uma faixa etária até os 17 anos, onde muita gente participava. Nós, moradores e frequentadores, acabamos pagando pelos problemas do Estado. Triste realidade", comentou Renan.

Autor: O DEBATE

Foto: Arquivo


    Compartilhe:

Tags: polícia


View Site in Mobile | Classic
Share by: